26 de dez de 2016

SEM RESERVAS

Filme: Sem Reservas
Ano: 2007
Direção: 1h 43min
Gênero: Comédia Dramática/ Romance

Sinopse: Kate Armstrong (Catherine Zeta-Jones) é a chef de um sofisticado restaurante de Manhattan. Ela leva seu trabalho com muita seriedade, o que faz com que as pessoas ao seu redor se intimidem com seu jeito. Sua natureza perfeccionista é colocada à prova quando é contratado Nick (Aaron Eckhart), um animado subchef que tenta alegrar a todos na cozinha e gosta de ouvir ópera enquanto trabalha. Ao mesmo tempo Kate precisa lidar com a súbita chegada de Zoe (Abigail Breslin), sua sobrinha de 9 anos, que se sente deslocada na rotina da tia.

Opinião: No início do filme conhecemos bem a personalidade de Kate, uma chef de cozinha comprometida, séria e sistemática, o que muda com os acontecimentos que ela tem que enfrentar durante o longa. O filme começa com um tom dramático, pois a irmã de Kate sofre uma acidente e não resiste, então a chef de cozinha fica responsável por Zoe, sua sobrinha. Kate precisa ficar uma semana afastada do restaurante onde trabalha, é ai que entra o subchef Nick, que ao longo do filme conquista Zoe, Kate e quem assiste o filme também. 

O longa se torna leve e engraçado pois mostra os desafios de Kate com sua sobrinha, e também no restaurante onde trabalha. As seções de terapia de Kate, e sua relação nada amigável com os clientes que reclamam de sua comida dão um toque especial ao filme, e são, com certeza, as cenas mais engraçadas. É um filme ótimo para olhar em qualquer ocasião, não importa com quem e onde você esteja. 

Confira o trailer:

18 de dez de 2016

JOYLAND

Livro: Joyland
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Sinopse: Carolina do Norte, 1973. O universitário Devin Jones começa um trabalho temporário no parque Joyland, esperando esquecer a namorada que partiu seu coração. Mas é outra garota que acaba mudando seu mundo para sempre: a vítima de um serial killer. Linda Grey foi morta no parque há anos, e diz a lenda que seu espírito ainda assombra o trem fantasma. Não demora para que Devin embarque em sua própria investigação, tentando juntar as pontas soltas do caso. O assassino ainda está à solta, mas o espírito de Linda precisa ser libertado — e para isso Dev conta com a ajuda de Mike, um menino com um dom especial e uma doença séria. O destino de uma criança e a realidade sombria da vida vêm à tona neste eletrizante mistério sobre amar e perder, sobre crescer e envelhecer — e sobre aqueles que sequer tiveram a chance de passar por essas experiências porque a morte lhes chegou cedo demais. 

Opinião: Para quem está acostumado com o terror e suspense presente nos livros de Stephen King, pode se surpreender com Joyland. Lendo a sinopse, o leitor tem a impressão de que o livro será mais um dos clássicos do autor, mas não é bem isso que acontece. Quando eu comecei a ler o livro, esperava que o fantasma do parque fosse a grande estrela da história, mas Linda Gray tem pouco destaque, aparece em poucos capítulos e a resolução do crime acaba virando uma história à parte. O foco do livro fica para Mike, o menino que consegue se comunicar com espíritos, inclusive com Linda. Devin conhece Mike e sua mãe, Annie, e é em torno dos três personagens que a história se desenvolve. O autor soube como ligar a história de Mike com Linda muito bem, mas como o foco fica no menino, você acaba esquecendo do fantasma e não sente a necessidade de descobrir quem é o serial killer, como e quando vão descobrir quem é ele... Aquelas questões que o leitor normalmente se preocupa em resolver quando existe um crime na história

12 de dez de 2016

(RESENHA) PROFISSÃO REPÓRTER 10 ANOS - GRANDES AVENTURAS, GRANDES COBERTURAS

O Profissão Repórter foi ao ar pela primeira vez em 2006, como um quadro do programa Fantástico, tornou-se fixo no ano de 2008. O programa semanal traz o repórter Caco Barcellos junto com sua equipe de jovens repórteres, dispostos a mostrarem diversos ângulos de uma mesma notícia. Vai ao ar todas as Quartas-feiras, e apresenta diversos assuntos, sejam eles pautas quentes¹ ou pautas frias². 
No ano de 2006, 2007 e 2008 o programa ganhou o Prêmio Jovem Brasileiro. Foi vencedor do Prêmio TV Press, na categoria "melhor programa jornalístico de TV" em 2007, no mesmo ano ganhou o Prêmio AMB de Jornalismo. Em 2008 foi considerado o melhor programa do ano pelo Prêmio Extra de Televisão, e ganhou o Troféu Top Of Business Nacional. Novamente no Prêmio Jovem Brasileiro, em 2010, ganhou na categoria "edição de programa de rede" pela matéria Crack. Também foi um dos indicados ao Prêmio Emmy, no ano de 2012, na categoria "atualidades" com a reportagem sobre crianças viciadas em drogas em áreas urbanas do Brasil. Com um  histórico recheado de prêmios e com grande audiência, em 2016, quando o programa completou 10 anos, foi lançado o livro "Profissão Repórter 10 anos - grandes aventuras, grandes coberturas".
O Livro é divido em cinco partes, na primeira é falado sobre o surgimento do programa, os desafios que foram enfrentados até eles encontrarem seu espaço na TV Globo. Na segunda parte, intitulada como "Grandes Aventuras" apresenta diversas histórias de repórteres que já passaram, ou ainda fazem parte do Profissão, os jornalistas contam sobre seus principais medos e duvidas que passavam durante as reportagens e também sobre as alegrias que aqueles momentos os proporcionavam. Em "A Redação e o Repórter", terceira parte do livro, é mostrado um lado que o telespectador não tem contato, a rotina do repórter dentro da redação, o papel do editor e as decisões tomadas pelo editor-chefe. O livro não poderia deixar de falar sobre aqueles programas que deixam o telespectador extremamente envolvido, esses foram deixados para a quarta parte do livro, "Grandes Coberturas". Na última parte, são apresentados os olhares externos, de pessoas que, em algum momento foram parte do Profissão Repórter, mas não necessariamente como jornalista, como o roteirista Aleksei Abib.
O livro tem uma leitura acessível e de fácil entendimento, o leitor se encontra envolvido com as histórias o tempo inteiro, como se fosse parte de todo aquele processo. Apesar de no programa ele mostrarem as dificuldades da equipe durante a reportagem, o livro apresenta questões muito mais delicadas e particulares, que não foram transmitidas no programa. Você sente de perto todas as aflições do repórter, torcendo para que tudo de certo, se envolvendo mais a cada página do livro. Além de todo esse envolvimento você passa a entender todo o processo muito melhor, desde a decisão da pauta, a escolha da equipe, a preparação do repórter antes de ir para a rua, até a edição final. O leitor definitivamente adquire um outro olhar sobre o programa, inclusive, é interessante ler as histórias de cada reportagem e assisti-las depois, você assisti com outros olhos, passa a compreender o Profissão de uma forma completamente diferente.

Você pode adquirir o livro com o DVD, ou pode comprar só o livro e assistir todos os programas aqui: http://g1.globo.com/profissao-reporter/

¹surgem a partir de fatos recentes
²surgem de fatos que podem render uma matéria, independente de ser recente ou não